Imprensa e formadores de opiniões

Gestão de fornecedores

Ao final de 2019, contávamos com 307 fornecedores, entre os quais 280 foram contratados no ano. Desse montante, 17 representavam contratos de investimento significativo (contratos de investimento em ativos que são aprovados pela Diretoria), sendo que 100% deles possuíam cláusulas de direitos humanos.

Nossa cadeia de fornecedores é formada, principalmente, por prestadores de serviços, fabricantes de equipamentos eletromecânicos e materiais elétricos, telecomunicações e informática, empreiteiros, consultorias, vigilância, limpeza e conservação.

A seleção dos fornecedores é alinhada com a Política de Logística de Suprimentos, que orienta os negócios por práticas de gestão internacionalmente reconhecidas. Adicionalmente, desde abril de 2018 todas as contratações e aquisições das empresas Eletrobras são formalizadas com base no novo Regulamento de Licitações e Contratos.

Ética e integridade empresarial

Os valores praticados pelas empresas Eletrobras estão definidos no PDNG 2020-2024:

  • Respeito às pessoas e à vida
  • Ética e Transparência
  • Excelência
  • Inovação
  • Colaboração e reconhecimento

Temos uma estrutura de controles aplicáveis a todos os empregados, fornecedores, parceiros de negócio e membros de diretorias e conselhos e mantemos uma Comissão Permanente de Ética, que tem como competência aplicar as diretrizes da Comissão de Ética Pública, fortalecer os compromissos previstos no Código de Conduta Ética e Integridade, por meio de ações educativas, e apurar, mediante denúncias ou de ofício, infrações nesse sentido. A gestão geral da integridade fica a cargo da Assessoria de Conformidade, Controle e Riscos, vinculada à presidência da Eletrosul.

As principais ações de ética e integridade em 2019

  • aprovação da Política Anticorrupção e dos Guias de Integridade;
  • adesão ao Código de Conduta Ética e Integridade das Empresas Eletrobras;
  • organização do XV Seminário de Gestão da Ética nas Empresas Estatais;
  • estabelecimento de indicadores de monitoramento do Programa de Integridade;
  • capacitação de indicados pela empresa a membros de Conselho Fiscal e de Administração de Sociedades de Propósito Específico (SPEs);
  • sensibilização de fornecedores expostos ao risco de fraude e corrupção;
  • capacitação de gestores e fiscais de contratos;
  • capacitação de operadores de patrocínios, convênios e de gestão de SPEs;
  • comunicação periódica sobre ética e integridade;
  • criação de procedimento de classificação de risco de integridade de terceiros;
  • aplicação de curso EAD para empregados, Diretores e Conselheiros; e
  • aprovação da Política de Administração de Conflito de Interesses.

Em 2019, 94 dos nossos fornecedores foram avaliados com relação a riscos relacionados à corrupção, o equivalente a 94,95% dos nossos fornecedores críticos (99 ao todo). Os principais riscos identificados foram de descumprimento do Programa de Integridade, no relacionamento com o setor público, em doações a terceiros, condenações por fraude e corrupção, quadro societário não conforme à Lei 13.303/2016, condutas antiéticas de pessoas jurídicas proponentes e de seus quadros societários, e gestão de riscos por parte de terceiros. Não foram confirmados casos de corrupção na Eletrosul em 2019.

Satisfação dos clientes

A satisfação do cliente com relação ao nosso desempenho técnico e operacional pode impactar nossa operação e afetar nossa capacidade de gerar valor. Por essa razão, mantemos um relacionamento próximo e constante com esse público, que permita receber e dar informações pertinentes à nossa atuação.

A cada dois anos abordamos os clientes de transmissão e geração em pesquisa sob a ótica comercial. A última foi realizada em 2018, quando superamos a meta de 85,31% de satisfação para as empresas Eletrobras, atingindo 94,36%. Nesse mesmo ano, realizamos uma pesquisa piloto com foco técnico aplicada aos clientes da Operação do Sistema da Eletrosul, com questionário adequado às particularidades desse público. O índice de satisfação verificado foi de 94,38% – a satisfação global somou 94,37%.

Segurança das comunidades

Todas as nossas usinas contam com um Programa de Atendimento a Situações de Emergência, que estabelecem responsabilidades, providências e ações efetivas a serem tomadas durante contingências como desastres naturais, derramamentos, incêndios, problemas com tecnologia de informação, greves e crises de imagem.

Também contamos com um Plano de Atendimento às Emergências em Linhas de Transmissão, que estipula ações a serem executadas para restabelecer, no menor tempo possível, as linhas de transmissão. Os transformadores e demais equipamentos possuem plano emergencial monitorado por meio do Sistema de Prontuários e Planos de Contingência, permitindo a continuidade do suprimento de energia elétrica. As Subestações possuem o Plano de Atendimento a Situações de Emergência (Pase), contribuindo também para a segurança das instalações.

Direitos humanos

Estamos alinhados às ações e políticas oriundas do poder público e às iniciativas de direitos humanos mundialmente difundidas e adotadas por organizações empresariais. Somos signatários do Pacto Global, que apresenta, entre seus princípios, os de respeitar e proteger os direitos humanos e impedir violações. Também estamos comprometidos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Atuamos em consonância com a Política de Responsabilidade Social e o Código de Conduta Ética e Integridade das empresas Eletrobras, que explicitam diretrizes para os temas relacionados a direitos humanos gênero, raça e diversidade. Por meio desses documentos, as empresas Eletrobras determinam que as diversidades sociais e culturais e as diferenças individuais devem ser respeitadas e valorizadas. Todas as formas de discriminação devem ser combatidas e deve ser dispensado a todos tratamento equânime e sem preconceitos de origem social, cultural, étnica ou de gênero, idade, religião, opinião política, orientação sexual ou condição física, psíquica e mental. Possuímos metas relacionadas a direitos humanos em nosso Plano de Negócios e Gestão, como pode ser verificado a seguir:

O PNG 2019-2023 também aborda a valorização de empregados, tendo como propósito o “monitoramento de indicadores como o de redução da desigualdade entre o maior e menor salário individual da empresa e o aumento de cargos de gerência ocupados por mulheres”. Esses indicadores têm o objetivo de atender aos ODS 5 (Igualdade de Gênero) e 10 (Redução de Desigualdades).

A Política de Gestão de Pessoas das empresas Eletrobras determina que é preciso respeitar a diversidade, promovendo a equidade, a igualdade de oportunidades e a inclusão. Também somos signatários da declaração de apoio aos Princípios de Empoderamento das Mulheres estabelecidos pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global. Criamos, em 2006, o Comitê de Gênero – de caráter permanente. Identificamos e monitoramos nossos impactos em direitos humanos por meio do trabalho do comitê, cuja experiência bem-sucedida resultou em sua ampliação para Gênero, Raça e Diversidade.

As principais ações do Comitê em 2019 foram a aplicação da Lei de Cotas na seleção dos jovens aprendizes negros e/ou pessoas com deficiência; a realização de Oficina de Promoção do Respeito à Diversidade; e a condução de palestra sobre diversidade e cultura. Também merece destaque a Semana Mundial do Aleitamento Materno 2019, com exposição de fotos e depoimentos no hall da empresa, com o objetivo de sensibilizar sobre a importância do aleitamento. Além disso, foi criado grupo de apoio para atender às mães que retornavam ao trabalho pós-licença maternidade. Posteriormente, o grupo foi ampliado aos empregados pais.

Direitos dos povos indígenas e tradicionais

A interface com as comunidades indígenas e de povos tradicionais é feita pelo Departamento de Gestão Ambiental e Fundiária (DEA), responsável pelos processos de licenciamento ambiental dos empreendimentos de acordo com a legislação vigente. Durante as obras, evitamos a proximidade ou a interferência nessas áreas, mas, caso não seja possível, realizamos estudos de identificação de impactos e proposta de mitigação em consonância com as diretrizes estabelecidas pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

Para os empreendimentos em operação implantados anteriormente à obrigatoriedade de licenciamento ambiental são atendidas as exigências do órgão ambiental licenciador e da Funai nos processos de regularização ambiental. Também realizamos, nessas ocasiões, estudos de identificação de impactos para adotar não apenas medidas mitigatórias, mas também compensatórias.

Trabalho infantil, ou forçado ou análogo ao escravo

Conforme o Código de Conduta Ética e Integridade, não se deve admitir em suas atividades próprias, nas atividades dos parceiros e na cadeia produtiva das empresas Eletrobras o trabalho infantil, o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, e o trabalho forçado ou em condições degradantes. Os nossos contratos de negócios possuem cláusula pela qual as contratadas declaram conhecer e se comprometem a respeitar, cumprir e fazer cumprir esse código, entre outros documentos pertinentes.

As nossas diretrizes de combate às práticas de trabalho degradantes estão previstas na Política de Responsabilidade Social.