Desempenho nos capitais

Capital financeiro

Assegurar um bom desempenho econômico é imprescindível para garantir o cumprimento dos objetivos e a perenidade da Eletrosul. Indicadores e metas financeiros são inseridos em nosso PNG, incluindo aqueles do nosso Contrato de Metas e Desempenho Empresarial.

Atuamos nos últimos anos visando, principalmente, reduzir nosso índice de endividamento, demonstrado em nosso resultado financeiro, que apresentou despesa líquida de R$ 210 milhões, com uma redução de 5,8%, se comparada a 2018. Esse resultado é basicamente influenciado pela redução de despesas financeiras, derivada, principalmente, da amortização das dívidas.

Conforme demonstrado na tabela a seguir, a nossa situação patrimonial em 2019 permaneceu estável quando comparada com o ano anterior. Em contrapartida, percebe-se que a dívida líquida foi reduzida em 25%, derivada, principalmente, de amortizações. Houve, ainda, redução nos gastos com Pessoal, Materiais e Serviços, decorrentes principalmente dos Planos de Demissão Consensual (PDC) de 2018 e 2019.

A apuração do Patrimônio não teve praticamente alteração no ano, quando comparada a 2018.

Podemos verificar na tabela a seguir a formação de valor de R$ 1.387 milhão, 19,4 % inferior a 2018, em razão principalmente das provisões de contencioso e provisões para perdas de investimentos. Na distribuição de valor, demonstra-se quanto a empresa distribuiu aos seus principais stakeholders.

Os demais resultados financeiros podem ser consultados no Relatório da Administração 2019 da Eletrosul. Cabe ressaltar que as Demonstrações Financeiras presentes nesse documento são verificadas por auditorias independentes.

Capital manufaturado

Seguimos um padrão de excelência na geração e transmissão de energia, bem como nos processos de manutenção do nosso sistema. Citamos como padrão de excelência a operação em tempo real realizada por meio dos Centros Regionais de Operação de Instalações e coordenadas pelo nosso Centro de Operação do Sistema Elétrico, com sede em Florianópolis.

Para assegurar projetos empresariais cada vez mais eficientes, inserimos em nosso Plano de Negócio e Gestão 2019-2023 o indicador Índice de Maturidade em Gerenciamento de Projetos, cuja meta em 2019 foi de 2,60% – nosso desempenho foi 10,77% superior, chegando a 2,88%.

Geração

Os empreendimentos de geração em operação comercial totalizam 11 usinas próprias, 1 em consórcio e 3 em parceria por meio de Sociedades de Propósito Específico (SPEs). Comercializamos energia nos Ambientes de Contratação Livre (ACL) e Regulado (ACR), sendo este último o ambiente onde estão comprometidas as usinas hidrelétricas e cerca de 65% da energia do Complexo Eólico II. No ACL, são negociadas as energias provenientes das Pequenas Centrais Hidrelétricas e da usina MW Solar, além da energia não comprometida em ACR do Entorno II. Além dos empreendimentos próprios, adquirimos energia de SPEs das quais somos sócias. Essa energia é totalmente negociada no ACL.

De forma a continuar garantindo nosso excelente desempenho, monitoramos, por meio de nosso Plano de Negócios e Gestão 2019-2023, o indicador de Disponibilidade de Geração Relativa (DISPGR) que, em 2019, teve como meta o índice de 1,00%, frente a um resultado final de 1,03%, ou seja, um desempenho positivo de 3,00%.

Transmissão

Ao final de 2019, nossa rede de transmissão somava 12.243,55 quilômetros de linhas de transmissão, 44 subestações e uma conversora de frequência. Ao longo do ano, investimos R$ 27,8 milhões na expansão e infraestrutura do sistema de transmissão da Região Sul e do estado de Mato Grosso do Sul, além de R$ 12,6 milhões em reforços e melhorias. Dos empreendimentos em andamento ou em vias de iniciar, em dezembro de 2019 já havíamos concluído e energizado dentro do prazo a obra de Contrato de Conexão ao Sistema de Transmissão (CCT – SE Itajaí 230/138 kV – AMPLIAÇÃO “F”) e a Autorização Aneel de adequação de fundações da LT 230 kV Jorge Lacerda B – Palhoça – REA 7.759/2019. As demais instalações devem ser finalizadas dentro dos prazos estabelecidos pela agência reguladora.

Em atendimento à Resolução Normativa nº 729/2016, cumprimos os requisitos de atendimento da Parcela Variável (PV). Para tal, acompanhamos o desempenho da parcela variável, tendo definido, em 2019, como meta uma PV de 1,5%, que superamos, atingindo 1,96%.

Nossos índices atingem ou superam os pactuados com a Aneel – em 2019, registramos disponibilidade operacional de linhas de transmissão (DISPOLT) de 99,97%. A disponibilidade alcançada supera em 13,00% a meta de 99,84% prevista no Plano de Negócios e Gestão (PNG) 2019-2023.

Telecomunicações

Contamos com um amplo sistema de telecomunicações digital que abrange todas as nossas instalações, constituído por 16.541 quilômetros de fibras ópticas – dos quais 4.302 quilômetros são próprios e 12.239 quilômetros são provenientes de swap com outras empresas – 60 estações DWDM, 76 estações SDH e 46 estações de rádio, abrangendo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Toda a estrutura suporta tecnologias de transporte de dados e informações, possibilitando a integração entre as áreas administrativas, de negócios, operacionais e de manutenção, bem como com as demais empresas Eletrobras, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), entre outros. Atualmente, a capacidade excedente é comercializada na Modalidade Sistema de Comunicação e Multimídia (SCM) para empresas do setor elétrico. Também atendemos provedores de internet, empresas de telecomunicações, governo federal e demais interessados por meio de contrato de parceria técnico-operacional e comercial com a Telebras. Ao final de 2019, possuíamos 10 clientes do setor elétrico e aproximadamente 80 clientes na parceria Eletrosul e Telebras.

Capital intelectual

P&D e Inovação

Acreditamos que os investimentos em P&D e Inovação (P&D+I) agregam valor para a empresa, para a sociedade e para o meio ambiente e, por essa razão, voltaremos, em 2020, a fazer novos aportes nesse sentido.

Seguimos o disposto na Política de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D+I). Atualmente, a Eletrosul possui uma patente e outros 14 pedidos. Até o final de 2019, todos as iniciativas de P&D+I em execução na Eletrosul haviam sido financiadas com recurso Aneel. Para mudar esse quadro, estamos trabalhando na ampliação da equipe de P&D+I da empresa, na elaboração de norma interna de propriedade intelectual e também no acesso de nossos empregados ao tema por meio de um banco de ideias digital, no qual estes possam inserir propostas de projeto/ideias.

Transição energética

O Plano Decenal de Expansão Energética 2029 projeta para 2023 uma oferta de energia solar de 1 mil MW e eólica de 3 mil MW, e uma elevação desses valores para 7 mil MW e 21 mil MW respectivamente até 2029. A própria Política Ambiental das empresas Eletrobras preconiza a utilização de fontes renováveis na expansão da oferta.

Temos a intenção de expandir nosso portfólio de geração com a aquisição ou implantação de novas usinas hidrelétricas e eólicas. O plano de negócios e gestão 2020-2024 prevê o desenvolvimento de 1 MW de geração hidrelétrica frente a 366 MW de geração eólica.

Capital social e de relacionamento

Grupos de stakeholders e temas de interesse

A Eletrosul mantém diálogo permanente com suas partes interessadas e para cada uma delas promove comunicação diferenciada, visando fortalecer as relações, cada uma com suas especificidades. A Política de Comunicação e Engajamento com Públicos de Interesse das empresas Eletrobras norteia esse relacionamento. Todos stakeholders têm acesso ao site e às redes sociais da empresa. Também realizamos campanhas em jornais e TV frequentemente como forma de divulgação massificada.

Disponibilizamos, ainda, o Relatório de Administração e o Relatório Anual para que as partes interessadas possam acompanhar nosso desempenho, além do Canal de Ouvidoria.

Capital natural

Sistema de Gestão Ambiental

Nosso Sistema de Gestão Ambiental se sustenta em quatro elementos principais: a Política Ambiental das empresas Eletrobras, o Comitê de Meio Ambiente das empresas Eletrobras, o Sistema de Indicadores de Gestão da Sustentabilidade Empresarial (Sistema IGS) – Módulo Ambiental e o Sistema de Informações Fundiárias e Ambientais (Sifa), este último alinhado às premissas da Política de Geoprocessamento. Um quinto elemento está sendo desenvolvido pela Eletrobras para acompanhamento das condicionantes do processo de Licenciamento Ambiental (SAL).

Além da comunicação via Ouvidoria, a Eletrosul disponibiliza endereço eletrônico para atendimento a demandas específicas de meio ambiente (gestaoambiental@cgteletrosul.gov.br).

Capital humano

Perfil dos empregados e diversidade

Gestão de pessoas e do desenvolvimento profissional

Aprovamos, no fim de 2018, um novo Regulamento de Gestão de Pessoas, que passou a vigorar em 2019, quando enfrentamos o desafio de adaptação às mudanças propostas em relação à gratificação, determinação de função, transferência de empregados, horas extras, entre outros pontos. Pelo novo regulamento, cada empregado indicado ao cargo de gerência deve passar por uma avaliação específica, que até então não ocorria e, portanto, foi necessário contratar uma consultoria para a implementação. Também em virtude dessa novidade, estamos desenvolvendo uma trilha de desenvolvimento gerencial, que deve abordar desde questões obrigatórias (como gerir férias, contratos e ponto) até outras relacionadas à carreira. Estamos definindo as competências necessárias para exercício da função gerencial e vamos, no futuro, promover treinamentos para o desenvolvimento dessas habilidades específicas.

O Plano de Demissão Consensual de 2019 demandou esforços para o cumprimento da meta estabelecida pela Eletrobras – no que fomos bem-sucedidos. Porém, alguns profissionais tiveram a saída negada naquele momento por deterem conhecimentos considerados críticos, porém esse cenário é exceção, uma vez que a gestão do conhecimento é consolidada na Eletrosul.

A eficácia da nossa gestão de pessoas é avaliada por meio da Pesquisa de Clima, realizada a cada dois anos. A última edição é de 2018 e teve desdobramentos em 2019 com relação a alguns pontos de baixo desempenho, como reconhecimento, ética e integridade, educação corporativa, carreira e remuneração e comunicação, para os quais estão previstas ações de melhorias no Plano de Ação Corporativo. Os itens que apresentaram maior satisfação entre os empregados foram: benefícios, imagem institucional e relacionamento interpessoal.

Para 2020, o maior desafio será de adaptação dos empregados à nova cultura CGT Eletrosul, que ainda está sendo desenhada, uma vez que a incorporação só foi oficializada no início de 2020.

Direitos humanos

Estamos alinhados às ações e políticas oriundas do poder público e às iniciativas de direitos humanos mundialmente difundidas e adotadas por organizações empresariais. Somos signatários do Pacto Global, que apresenta, entre seus princípios, os de respeitar e proteger os direitos humanos e impedir violações. Também estamos comprometidos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Atuamos em consonância com a Política de Responsabilidade Social e o Código de Conduta Ética e Integridade das empresas Eletrobras, que explicitam diretrizes para os temas relacionados a direitos humanos gênero, raça e diversidade. Por meio desses documentos, as empresas Eletrobras determinam que as diversidades sociais e culturais e as diferenças individuais devem ser respeitadas e valorizadas. Todas as formas de discriminação devem ser combatidas e deve ser dispensado a todos tratamento equânime e sem preconceitos de origem social, cultural, étnica ou de gênero, idade, religião, opinião política, orientação sexual ou condição física, psíquica e mental. Possuímos metas relacionadas a direitos humanos em nosso Plano de Negócios e Gestão, como pode ser verificado a seguir:

O PNG 2019-2023 também aborda a valorização de empregados, tendo como propósito o “monitoramento de indicadores como o de redução da desigualdade entre o maior e menor salário individual da empresa e o aumento de cargos de gerência ocupados por mulheres”. Esses indicadores têm o objetivo de atender aos ODS 5 (Igualdade de Gênero) e 10 (Redução de Desigualdades).

A Política de Gestão de Pessoas das empresas Eletrobras determina que é preciso respeitar a diversidade, promovendo a equidade, a igualdade de oportunidades e a inclusão. Também somos signatários da declaração de apoio aos Princípios de Empoderamento das Mulheres estabelecidos pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global. Criamos, em 2006, o Comitê de Gênero – de caráter permanente. Identificamos e monitoramos nossos impactos em direitos humanos por meio do trabalho do comitê, cuja experiência bem-sucedida resultou em sua ampliação para Gênero, Raça e Diversidade.

As principais ações do Comitê em 2019 foram a aplicação da Lei de Cotas na seleção dos jovens aprendizes negros e/ou pessoas com deficiência; a realização de Oficina de Promoção do Respeito à Diversidade; e a condução de palestra sobre diversidade e cultura. Também merece destaque a Semana Mundial do Aleitamento Materno 2019, com exposição de fotos e depoimentos no hall da empresa, com o objetivo de sensibilizar sobre a importância do aleitamento. Além disso, foi criado grupo de apoio para atender às mães que retornavam ao trabalho pós-licença maternidade. Posteriormente, o grupo foi ampliado aos empregados pais.

Direitos dos povos indígenas e tradicionais

A interface com as comunidades indígenas e de povos tradicionais é feita pelo Departamento de Gestão Ambiental e Fundiária (DEA), responsável pelos processos de licenciamento ambiental dos empreendimentos de acordo com a legislação vigente. Durante as obras, evitamos a proximidade ou a interferência nessas áreas, mas, caso não seja possível, realizamos estudos de identificação de impactos e proposta de mitigação em consonância com as diretrizes estabelecidas pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

Para os empreendimentos em operação implantados anteriormente à obrigatoriedade de licenciamento ambiental são atendidas as exigências do órgão ambiental licenciador e da Funai nos processos de regularização ambiental. Também realizamos, nessas ocasiões, estudos de identificação de impactos para adotar não apenas medidas mitigatórias, mas também compensatórias.

Trabalho infantil, ou forçado ou análogo ao escravo

Conforme o Código de Conduta Ética e Integridade, não se deve admitir em suas atividades próprias, nas atividades dos parceiros e na cadeia produtiva das empresas Eletrobras o trabalho infantil, o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, e o trabalho forçado ou em condições degradantes. Os nossos contratos de negócios possuem cláusula pela qual as contratadas declaram conhecer e se comprometem a respeitar, cumprir e fazer cumprir esse código, entre outros documentos pertinentes.

As nossas diretrizes de combate às práticas de trabalho degradantes estão previstas na Política de Responsabilidade Social.